‘Foi por causa de fofoquinha’, diz adolescente esfaqueada na saída da escola


Delegado que investiga o caso diz que agressão foi planejada. Jovem esfaqueada tem 15 anos, e briga aconteceu com adolescente de 12. Testemunhas contaram que elas brigaram na rua.

A adolescente de 15 anos esfaqueada na saída da escola em Balneário Pinhal, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, se recupera dos ferimentos. Ela conta que a motivação para a agressão, ocorrida na quarta-feira (8), foi uma fofoca. Uma menina de 12 anos, que estuda na mesma escola, foi apreendida após o fato.

“Foi por causa de fofoquinha de pessoas, entendeu? De disse que me disse. Nada é motivo para pegar e atacar uma pessoa desse jeito, com tanta violência”, diz a jovem que foi esfaqueada três vezes. Ela saía do colégio em direção a um ponto de ônibus quando encontrou com a outra menina, e a briga começou.

O Ministério Público já pediu a internação da adolescente de 12 anos e aguarda decisão judicial.

Para o delegado que investiga o caso, Alexandre Souza, a agressão foi planejada. “Foi um crime premeditado, inclusive essa própria autora já teria agredido ela. Tem uma ocorrência do mês de abril, e depois que a gente apurou nas nossas investigações, ela andou falando nas redes sociais que teria uma surpresinha hoje para a vítima, e essa surpresa seria a faca”.

A faca era do pai da menina de 12 anos. Ele reconheceu o utensílio.

A faca era do pai da agressora. Nas redes sociais, a garota de 12 anos havia compartilhado uma frase dizendo que queria fazer mal a alguém. (Foto: Reprodução RBS TV)

A faca era do pai da agressora. Nas redes sociais, a garota de 12 anos havia compartilhado uma frase dizendo que queria fazer mal a alguém. (Foto: Reprodução RBS TV)

“Eu não tinha sentido que ela tinha me dado a facada. Ela me deu três facadas. Uma no peito, uma no braço e uma na cabeça. Mas pegou de raspão”, diz a menina ferida.

“Foi por milímetros. Como o cara que fez a tomografia falou. Foi muito grave. Poderia não estar mais aqui, mas graças a Deus está. É um absurdo o que tá acontecendo com os adolescentes hoje em dia. Teus filhos saem e tu não sabe se eles vão voltar com vida”, relata uma familiar.

“Que isso não se repita, e que eles entendam que eles não podem colaborar para isso, alimentar esse tipo de comportamento, ainda mais por uma futilidade”, diz a diretora da escola, Sandra da Silva Dias.

Em março de 2017, um caso semelhante terminou em morte. Uma estudante de 12 anos matou uma colega, de 14 anos, durante uma briga em uma escola de Cachoeirinha. A adolescente, que confessou ter asfixiado a menina, se apresentou à polícia após mais de um anoforagida e está apreendida na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo do Rio Grande do Sul (Fase).

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*