Greve dos professores prossegue e em Alegrete a paralisação atinge 80%, diz Cpers

“Vamos manter a greve, por tempo indeterminado, até que o Governador receba o Comando de Greve e apresente uma proposta” – destacou Maria Izete Paré Rhodes, diretora do 19º Nucleo Cpers – Alegrete.

Ainda em Porto Alegre, a diretora disse que recebeu com surpresa a informação de que o Governo do Estado vai suspender o ponto dos grevistas, ela acredita que a Direção Central do Cpers vai entrar com recurso.

Segundo ela, milhares de pessoas participaram da  Assembleia convocada pelo SindsepeRS e Sindicaixa que foi realizada na manhã de sexta-feira, 29, Dia Estadual de Luta em Defesa do Salário e da Dignidade, no ginásio Gigantinho.

Quanto ao pagamento do salário, conforme Izete, os funcionários estaduais que recebem até o valor de R$1.700,00, já tiveram seus valores depositados, porém os outros estão com uma data programada para pagamento até o próximo dia 11. “O governador disse que iria acabar com o parcelamento, mas não pagar, também caracteriza como atraso e é ainda pior. No parcelamento quando os professores recebiam a última parcela já estavam endividados com os juros entre outras coisas. É muito difícil e um desrespeito” – comenta.

Logo após à Assembleia, os servidores seguiram em caminhada para o Largo Glênio Peres para o Ato Unificado dos Servidores Públicos que reuniu mais de 15 mil pessoas.

Em Alegrete, conforme o Cpers, 80% dos professores estão em greve, a E.E.  Dr. Lauro Dornelles é a única que aderiu 100% a greve. Há docentes que estão trabalhando com carga horária reduzida.

A greve iniciou no último dia 4 após assembleia geral em Porto Alegre, contra o parcelamento dos salários.

A Assembleia convocada pelo SindsepeRS e Sindicaixa foi realizada na manhã desta sexta-feira, dia 29 de setembro, Dia Estadual de Luta em Defesa do Salário e da Dignidade.

 

Fotos: Sindsepe/RS

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*