Jornal Alemão destaca prostituição no Brasil

kinder2

“Die Welt”, um dos maiores jornais da Alemanha, publicou na última quarta-feira (28) reportagem intitulada“Prostituição infantil tem tom à sombra da Copa do Mundo”, em que afirma que  é possível fazer sexo com menores de idade no Brasil com “a partir de alguns euros”. “A polícia não age, a Fifa silencia” diz o texto.

Os repórteres Tim Röhn , Marc Neller e Sam Wild, que assinam o artigo, apresentam o caso de uma menina com o nome fictício de “Lisa”, que atualmente tem 23 anos, mas relata ter começado a se prostituir com 13, em Fortaleza.

Ela diz que deixou a prostituição, mas ainda sofre as consequências dela. Seu primeiro namorado, ao saber que ela foi prostituta, se suicidou, segundo o jornal. Conta que até hoje tem pesadelos com o que passou.

A reportagem conta que na Avenida Juscelino Kubitscheck, na capital cearense, há “dúzias de meninas e meninos” à espera de clientes. Uma representante do projeto de apoio Vira Vida, Ana Isabel Cabral Lima de Souza, que os casos de prostituição infantil na cidade teriam “aumentado em 100% – e a Copa nem começou”.

“Em Fortaleza, ocorre frequentemente que taxistas destemidos levem os clientes até o ponto de prostituição infantil. Uma criança é escolhida e embarca no carro. O taxista anda algumas centenas de metros, desembarca e só volta quando tudo acabou. Ele ganha alguns reais extras e deixa a menina ou menino em algum lugar da cidade. A polícia sabe disso, dizem os assistentes sociais”, relata o diário alemão.

“Die Welt” diz que o negócio do sexo com menores “floresce à sombra do esporte” no Brasil. O jornal cita que nos últimos dez anos a prostituição infantil teria se quadruplicado, chegando a 400 mil pessoas, mas não informa a fonte dessa informação. O motivo para elas se prostituírem seria a pressão das famílias para conseguirem dinheiro.

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.