Jovem acusa ‘americana de 3 seios’ de tentar usá-lo como escravo sexual

O americano Micheal Squier, de 18 anos, acusou Jasmine Tridevil, que ficou famosa na internet ao alegar que teria implantado um terceiro seio, de tentar transformá-lo em escravo sexual e de ter riscado com as unhas seu nome no peito do jovem.

Squier disse ao jornal britânico “The Sun” que Jasmine Tridevil chegou a obrigá-lo a dormir em uma gaiola para cães. “Ela é completamente psicótica”, afirmou o rapaz, alegando ainda que Jasmine teria batido nele e o humilhado.

O jovem contou que foi à casa de Tridevil após conhecê-la no Facebook. Ele disse que passou algumas semanas lá, antes de conseguir fugir. “Na noite em que nos conhecemos, ela me amarrou e me chicoteou”, afirmou.

mini

Jasmine, de 21 anos, transformou-se em viral na internet após afirmar que teria gasto US$ 20 mil (R$ 48,9 mil) para implantar a terceira mama. No entanto, segundo o “New York Daily News”, ela inventou a história e usaria uma prótese como terceiro seio.

mini

No início de setembro, segundo a polícia, Jasmine havia denunciado o roubo de sua bagagem no Aeroporto Internacional de Tampa, na Flórida, na qual ela carregava a “prótese do terceiro seio”. Após prenderem os suspeitos, os agentes encontraram o “terceiro seio” e devolveram para Jasmine.

Além disso, em março de 2013, ela foi presa acusada de se passar por Alisha Hessler e usar uma identidade roubada em um bar naFlórida. Ao posar para a foto da polícia na ocasião, ela tinha dois seios.

Apesar da evidências de que sua história é falsa, Jasmine nega e disse que fez mesmo a cirurgia estética. “Não é mentira”, disse ela, que alcançou mais de 5 milhões de visualizações em seu vídeo publicado no YouTube.

Jasmine, que mora em Tampa, no estado da Flórida, contou à emissora de TV “WTSP” que a cirurgia foi filmada e pretende exibi-la em seu show em programa da TV a cabo.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*