Justiça do RS condena sete pessoas por introdução ilegal de estrangeiros

Sentença foi proferida pelo judiciário de Uruguaiana, na Fronteira Oeste.
Antes, Ministério Público Federal havia denunciado oito pessoas pelo crime.

coiotes

A Justiça Federal de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, condenou sete pessoas por introdução e ocultação de estrangeiros irregulares no Brasil. A decisão ocorreu após o Ministério Público Federal (MPF) oferecer denúncia contra oito pessoas, sendo dois argentinos e seis brasileiros.

De acordo com o Judiciário, o MPF alegou que, entre 2010 e 2012, os acusados uniram-se para ingressar com estrangeiros a partir da fronteira, garantindo desde a recepção e hospedagem até o embarque para o destino pretendido. A acusação foi embasada em dois flagrantes, escutas telefônicas e ocorrências policiais.

Diante das provas apresentadas e dos depoimentos colhidos, o juiz Guilherme Beltrami absolveu um brasileiro por acreditar que não foi comprovado que o homem tenha agido de forma intencional para praticar o crime. Empregado de uma empresa de transporte rodoviário, ele fornecia passagens cortesias aos outros acusados, mas a Justiça acreditou ser uma prática comercial para fidelização de clientes.

Em relação aos demais réus, o magistrado entendeu haver provas suficientes que comprovam a prática criminosa. Um brasileiro e um argentino receberam pena de um ano, 10 meses e 20 dias de detenção, além de um ano e cinco meses de reclusão. Outros quatro foram condenados a um ano, cinco meses e 10 dias de detenção e, ainda, um ano e um mês de reclusão.

O último brasileiro condenado recebeu a pena de um ano e mês de detenção por ter praticado uma vez o crime de introdução ou ocultação de estrangeiro irregular no país. Por isso, o juiz optou por substituir a pena privativa de liberdade por prestação de serviços à comunidade e prestação pecuniárias no valor de R$ 10 mil. Cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Município aparece na rota de “coiotes”
Desde 2012, a Polícia Federal realiza operações contra o ingresso de estrangeiros ilegais e o tráfico humano no Rio Grande do Sul. Foram feitas diversas prisões de supostos “coiotes” que estariam atuando na região. Somente na 1ª Vara Federal de Uruguaiana, segundo a Justiça, tramitam ações oriundas na migração irregular de chineses e africanos. Em maio deste ano, o juízo já havia condenado um grupo de pessoas pelas mesmas práticas criminosas.

Fonte: G1

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*