Lâmpadas de LED reduzem o consumo de energia em 85%

Desde 1º de julho as lâmpadas incandescentes não podem mais ser vendidas

 

led

Desde o dia 1º de julho os estabelecimentos do país estão proibidos de comercializar lâmpadas incandescentes de 40W a 60W. Essa medida tem como objetivo minimizar o desperdício de energia elétrica. Passa a vigorar a proibição para a importação, a comercialização e a fabricação deste tipo de lâmpada em todo o Brasil. De acordo com a determinação apenas poderão ser vendidos os modelos halogêneos, fluorescentes compactos e LED. Iniciada em 2012, a restrição à utilização das lâmpadas incandescentes é um reflexo do avanço de novas tecnologias.

 

A principal vantagem para a população com a substituição das lâmpadas é a economia financeira em longo prazo. Uma lâmpada incandescente tem uma vida útil de 1.200 horas em média, ao passo que as fluorescentes têm 8 mil horas e as de LED podem passar das 25 mil horas. O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) divulgou estudo que aponta que uma casa com 2 quartos com 8 lâmpadas, ligadas 8 horas por dia gasta R$ 767,84 por ano apenas com as lâmpadas, considerando a conta de luz e o próprio custo do produto, levando em consideração a durabilidade. Com lâmpadas fluorescentes, o custo cai para R$ 255,96 – ou seja, com economia de R$ 511,88 em um ano. Com lâmpadas de LED, o gasto anual cai para R$ 246,38, com economia de R$ 521,46. A economia de energia pode chegar até 85% no comparativo entre os equipamentos incandescentes e os de LED. Já uma lâmpada fluorescente gera uma economia de até 75% se comparada com um modelo comum que produz a mesma luminosidade.

 

Nos últimos 6 anos o nosso Programa de Eficiência Energética destinado a comunidades baixa renda substituiu 470.000 lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas, gerando uma redução de demanda de aproximadamente 30MWh nos horários de ponta. Nos próximos de 3 anos está prevista a substituição de mais 126.000 lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas, economia esperada de 8,5MWh nos horários de ponta.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *