Maria do Horto enaltece a pluralidade dos debates e ações no mês da mulher

A primeira semana do mês da mulher foi marcada pelo ativismo de vários coletivos que atuam na cidade. O debate destes grupos se faz cada vez mais necessário, em um país onde uma  mulher é estuprada a cada 11 minutos, uma vez que o machismo e o racismo estão incorporados na educação da sociedade, vítima dessa masculinidade tóxica.

A vereadora Maria do Horto defende a ideia de que os estereótipos de gênero, que associam a virilidade e a agressividade à condição masculina, e a delicadeza à condição feminina, devem ser combatidos nas escolas.

No dia 8 de março, a companheira de partido e de lutas da vereadora Horto,  Preta Mulazzani, mulher combativa nas causas sociais e na luta pelo espaço das mulheres na sociedade, recebeu o merecido Título de Cidadã alegretense. “Muito nos orgulha que agora a Preta seja alegretense de fato, pois construiu sua vida familiar, política e profissional na nossa cidade, que para ela já estava em seu coração” – afirma Horto.

Um evento que também merece destaque, foi a atividade realizada no domingo dia 10, no bairro Piola, organizado pelo grupo Ecoar e que faz parte da I Semana Vivas – Na luta pela vida das mulheres #Mariellevive. Este evento contou com a participação de vários grupos feministas e grupos apoiadores que dividiram experiências e esclareceram questões sobre gênero, feminicídio, reforma da previdência e grupos de apoio.

Horto acredita que “atividades como esta nos bairros, no centro, nas escolas, só contribuem para combater as desigualdades e desmistificar os temas de gênero, precisamos falar muito sobre esses assuntos.”

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*