Moradores de áreas ocupadas de Alegrete fazem caminhada por moradia

Na manhã de quinta-feira(11), famílias das ocupações do Campo do Vasco e do bairro Progresso fizeram um caminhada em protesto face à proximidade de um reintegração de posse nas duas áreas.

Com a participação de um dos líderes do Movimento Nacional pela Luta à Moradia – Claudiomiro Rocha(Cacá), diretora Glades Azevedo e mais integrantes, assim como, simpatizantes em prol da causa, eles saíram da frente do DAER e foram até a Câmera de Vereador pedir apoio quanto ao que eles consideram um descaso.

No Campo do Vasco, de acordo com Cacá, os proprietários do local recorreram e a decisão do desembargador, João Moreira, do TJ-RS deu ganho de causa aos donos.

Sílvia Jaqueline disse à reportagem que está no local há mais de 28 anos. “Quando chegamos lá, era só banhado, não tinha nada de infraestrutura. tudo foi realizado por nós, moradores. Esperaram passar tanto tempo para vir cobrar sem nos dar condições de negociação. Minha filha de de 9 anos chora dia e noite. Ela fica questionando para onde vamos, o que vai ser dos amigos , da escola” – falou a moradora.

Quelem Vargas que está na área há 9 anos, desolada, comentou que a saída é ir morar na rua. Tudo o que eu tinha investi ali. É muito triste essa situação- citou.

Durante a caminhada eles gritavam por moradia e que salientava que o povo unido é mais forte. Na Câmara de vereadores a sessão foi coordenada pelo Presidente, Cléo Trindade e contou com a participação dos Vereadores, GLênio Bolsson, Mirian Suhre, Moisés Fontoura, Luciano Belmonte, Nívea Souza, Leoni Caldeira, Paulo Berquó, Firmina Fuca, Antônio Monteiro e Maria do Horto. Depois da sessão ordinária, os vereadores se reuniram com os representantes das ocupações. Ficou acordado que eles vão marcar uma reunião com o Prefeito Márcio Amaral e depois vão convocar os representantes para um novo encontro.

Cacá falou que até o momento todas as tentativas de buscar auxílio com a prefeitura foram em vão, não tiveram respostas. As duas áreas que estão para sair a reintegração de posse são particulares. “Sabemos que assim como aconteceu no bairro Segabinazzi e Fênix houve um Decreto de Utilidade Pública que beneficiou às famílias. Nos resta apenas duas chances, essa medida via Decreto, ou uma intervenção do Estado, que também, já ocorreu no bairro Sepé Tiaraju – conforme os integrantes do Movimento Nacional pela Luta à Moradia.

Glades Azevedo e Leônidas Tito disseram que as pessoas precisam saber que o MNLM – Movimento em prol da moradia é para ajudar as famílias. Estamos unidos para que sejam elaborados projetos, para que o governo dê condições para essas pessoas de adquirirem um lar digno. Não somos a favor de novas invasões, mas de regularizar as que já existem. Também ter um projeto como já existe em outros municípios que a Prefeitura compra lotes ou oferece em forma de consórcio para que os moradores tenham como adquirir e não seja irregular. É mais fácil construir uma casinha do que comprar terreno ou casa pronta- finalizaram.

No bairro Assumpção, Campo do Vasco, são 64 famílias, num total aproximado de 1 hectare. Já no bairro Progresso, são 40 famílias. As duas áreas são particulares e os proprietários estão na justiça há tempos. A decisão favorável para os donos no Campo do Vasco Já saiu.

A Guarda Municipal deu apoio aos manisfestantes durante todo percurso.

Compartilhe
  • 224
  •  
  •  
  •  
  •  
    224
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*