Nos últimos meses, aumentou a procura por vacina contra febre amarela


A prefeitura de Santa Maria centralizou a aplicação das doses em sete Unidades de Saúde do município

Fotos: Gabriel Haesbaert (Diário)
A vacina é o meio mais eficaz de evitar a febre amarela, doença que é transmitida pela picada de mosquitos infectados

Depois dos casos de morte confirmados por febre amarela em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, o Ministério da Saúde decidiu antecipar a campanha de vacinação, que “fraciona” o estoque de vacina para economizá-la e também atingir cerca de 19 milhões de pessoas. O objetivo é frear o avanço da doença nestes Estados e também nos demais. Em Santa Maria, a procura aumentou, principalmente no mês de janeiro, quando 750 pessoas foram vacinadas somente no Posto de Saúde José Erasmo Crossetti que fica no centro da cidade.

A prefeitura de Santa Maria centralizou a aplicação da vacina em sete Unidades de Saúde do município. A medida foi determinada em função de que um frasco da vacina garante até dez doses, que necessitam ser aplicadas em um período de até seis horas, assim, a administração municipal evita também desperdício do material. O município recebe, mensalmente, um quantitativo que varia de duas a três mil doses de vacina. E para não ficar sem a dose, muita gente aproveitou a tranquilidade da semana que antecede o feriadão de carnaval para imunizar-se.

Na última semana, o empresário Diniz Farias, 56 anos foi até o posto de saúde tomar a vacina. Ele, a esposa, o sogro e a sogra vão viajar no final do mês para os Estados Unidos e por isso aproveitaram a sexta-feira de carnaval já que o movimento estava mais calmo.

– Nós quatro decidimos vir juntos já que vamos fazer uma viagem em família, aproveitamos a sexta-feira porque muita gente foi viajar no feriadão ou estão em férias, daí o movimento no posto de saúde é bem tranquilo. É muito importante se vacinar não só pela nossa viagem, mas também pela prevenção – contou Diniz.

A vacina é o meio mais eficaz de evitar a febre amarela, doença que é transmitida pela picada de mosquitos infectados. Ela é indicada para pessoas de nove meses a 59 anos de idade que moram ou viajam para áreas com risco de transmissão, sejam elas no Brasil ou exterior. Antigamente, a dose exigia um reforço a cada 10 anos. No entanto, essa medida não é mais válida, sendo que, desde o ano passado, a vacina passou a ser aplicada em apenas uma dose, que protege permanentemente o resto da vida.

O médico veterinário, Robel Bello Tolio, 26 anos, mora e trabalha no interior de Santa Maria, ele aproveitou a vinda à cidade para prevenir-se.

– Hoje (sexta-feira) eu tive tempo livre e consegui vir pra cidade, mesmo sendo a trabalho, já aproveitei para passar no posto de saúde e me imunizar mesmo que não tenha viagem marcada. Vou tentar trazer meus familiares também – afirmou Robel.

Em média são aplicadas entre 60 e 70 doses por dia no Posto Saúde Erasmo Crossetti, mas como o movimento caiu em função do feriado, na última sexta-feira, pelo menos 20 pessoas receberam a dose. Em 2009, houve uma vacinação em massa na cidade, em função da morte de bugios na região, o que garantiu a imunização de boa parte da comunidade. Assim, a orientação é que as pessoas confiram suas carteiras de vacinação para verificar se já estão imunizadas. Caso não tenha o documento, é possível conferir a situação na Unidade de Saúde onde acredita ter se vacinado, já que os postos têm o registro das aplicações.

A vacina protege para toda a vida. Na quarta-feira (14), os atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde e Estratégia Saúde da Família retornam normalmente das 13h às 17h. A exceção é na UBS Floriano Rocha, onde o expediente ocorre das 8h ao meio-dia.

Doenças que a vacina previne

  • A vacina previne contra a febre amarela, uma doença infecciosa aguda que dura cerca de 10 dias e é causada por um vírus da família dos Flavivírus, um tipo de vírus que causa doenças em humanos e em outros vertebrados. Ela é considerada aguda e hemorrágica e recebe esse nome por causar icterícia, um sintoma que deixa a região dos olhos, pele e mucosas com aspecto amarelado, além de dor e cabeça e no corpo, febre, náuseas e vômitos.
  • A doença é transmitida por meio de picada de mosquito, de pessoas para pessoa não existe. E é importante alertar que existem três espécies de mosquitos capazes de transmitir o vírus. As espécies de mosquito Haemagogus e Sabethe transmitem a febre amarela silvestre, pois estão concentradas em regiões de mata e interioranas. Já o Aedes aegypti é responsável pela transmissão da febre amarela urbana, que atinge grandes cidades e áreas metropolitanas. Porém, o vírus transmitido é o mesmo, só muda o agente transmissor.
  • A vacina contra febre amarela é aplicada via subcutânea, na região do braço. O efeito protetor ocorre a partir do décimo dia depois de tê-la tomado e garante imunidade pelo resto da vida. Ela age estimulando o organismo a produzir sua própria proteção contra o vírus.
  • O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva. Se o paciente não receber assistência médica, ele pode morrer.
  • A única forma de evitar a febre amarela silvestre é a vacinação contra a doença. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde em qualquer época do ano. Ela deve ser aplicada 10 dias antes da viagem para as áreas de risco de transmissão da doença. Pode ser aplicada a partir dos 9 meses e é válida por 10 anos. A vacina é contra-indicada a gestantes, imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo.
  • A vacinação é indicada para todas as pessoas que vivem em áreas de riscopara a doença (zona rural da Região Norte, Centro Oeste, estado do Maranhão, parte dos estados do Piauí, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), onde há casos da doença em humanos ou circulação do vírus entre animais e humanos.

Unidades que estão aplicando as vacinas:

  • José Erasmo Crossetti – De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h30min e das 13h às 15h
  • Floriano Rocha – De terça a sexta-feira, das 7h ao meio-dia
  • Itararé – De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h
  • Kennedy – De segunda a quinta-feira, das 8h ao meio dia e das 13h30min às 16h. Sextas-feiras das 8h ao meio-dia
  • Oneyde de Carvalho – De segunda a sexta-feira, das 8h
  • Wilson Paulo Noal – A partir de segunda-feira, horário pode ser conferido pelo telefone (55) 3286-2457, ou diretamente na unidade de saúde (Rua Monte Carlo, s/n, Bairro Camobi)
  • Ruben Noal – De segunda a sexta-feira, das 8h ao meio dia e das 13h30min às 16h30min

Balanço do Posto de Saúde Erasmo Crossetti:

  • Novembro – 104 pessoas vacinadas
  • Dezembro – 110
  • Janeiro – 750
  • De 1º/02 até 09/02 – 228

Fonte : Diário de Santa Maria

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*