Notícia falsa de assaltantes fazendo reféns em Alegrete deixou muita gente em pânico


No final de semana a notícia de três criminosos que estariam invadindo casas e fazendo moradores de reféns, em Alegrete e Uruguaiana, viralizou nas redes sociais. Assim que a reportagem do PAT recebeu a informação, entrou em contato com a Brigada Militar e Polícia Civil que desmentiram o boato.

Muitas pessoas compartilharam em grupos de WhatsApp e no facebook. Com a intenção de realmente fazer um alerta essas postagens tomam grandes proporções. Muitas pessoas ficam apreensivas e gera pânico quanto aos que precisam sair e deixar idosos ou crianças em casa, com cuidadores, por exemplo.

As famigeradas notícias falsas (ou “fake news”) se difundiram de maneira significamente mais rápida, profunda e ampla do que os fatos verdadeiros.

Como confirmar um fato

– Sempre que o texto for “espetaculoso”, dramático demais, soar inverossímil, conter erros de português e não tiver autoria clara, desconfie e não compartilhe na mesma hora.

– Com educação, pergunte para quem enviou a mensagem qual é a fonte. Se ela disser que não sabe, que apenas recebeu em outro grupo, desconfie ainda mais.

– Faça, então, uma rápida busca no Google, com palavras-chave. Em geral, é o suficiente para detectar fake news (notícias falsas).

– Caso a incerteza persista, dê uma olhada em sites e perfis oficiais da polícia e de veículos de imprensa confiáveis. Se não houver nenhuma menção a essa notícia, será mais um indício de que não passa de boato.

– Em caso de dúvida, entre em contato com autoridades (ligando para o 190, da Brigada, por exemplo) e comunique o fato. Se realmente houver um caso grave o policial poderá confirmar.

 

 

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*