Paciente da Prado reclama de falta de atendimento; ESF diz que sobraram fichas

Na tarde quarta-feira(13), Camila Alves entrou em contato com o PAT. A jovem fez um desabafo quanto a falta de atendimento na ESF – Estratégia da Família – do bairro Prado. De acordo com Camila, a mãe está enfrentando um problema de saúde há mais de um mês. Carmem Alves está com problemas nos pulmões( coágulo e líquido) e na madrugada de ontem teve uma crise muito forte de dor.

O esposo foi para a ESF tentar uma ficha, ainda na madrugada. Quando foi atendido, segundo o que ele falou para a filha, a informação teria sido de que ao meio-dia poderia voltar para tentar ficha. Como a médica estaria atendendo em outra ESF, esse seria o melhor horário para saber se teria desistência.

Como o esposo tem que trabalhar, mesmo com dor, Carmem chegou na Unidade por volta das 11h45min., de ontem. “Falei com uma enfermeira chamada de Paola e havia outra profissional da saúde, Ana, que também estava no local. Elas disseram que as fichas eram só pela manhã e não teria como consultar” – explicou Carmem.

A filha destacou que é complicado ver a mãe com dor e ter esse ‘jogo de empurra’, pois se ela estivesse bem, não iria procurar auxílio médico.- completou. Carmem retornou para casa com muita dor e nesta manhã, novamente iria tentar ficha.

A reportagem entrou em contato com a responsável, Deise Diniz, para saber a posição da ESF.

A enfermeira, foi taxativa em dizer que as fichas são distribuídas pela manhã e que não tinha conhecimento de que teria sido repassada informação de que a paciente deveria voltar à tarde. Deise comentou que, inclusive, sobraram três fichas.

Na segunda-feira são disponibilizadas 20 fichas, já nos outros dias são dez, com exceção das sextas-feiras que a médica atende em outra unidade pela manhã e à tarde faz visitas domiciliares.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*