Pés de maconha, celulares, estoques e drogas são encontrados no Presídio de Alegrete

Os servidores do Grupo de Ações Especiais da Susepe(GAES) com o apoio da Brigada Militar, Ostensivo e Grupo de Operações Especiais deflagraram uma revista minuciosa no Presídio Estadual de Alegrete. Todas as celas da Casa Prisional foram revistadas.

A superlotação, 234 apenados neste dia(21), é um problema sério enfrentado pelos agentes da Susepe, além de toda a deficiência na estrutura do prédio. Já houve pedido de interdição total da Casa Prisional. Esta foi a segunda revista geral realizada em 2018. A ação transcorreu pacificamente sem nenhum incidente. Apenas três presos foram levados para viaturas, por uma questão de segurança.

Para o Delegado Penitenciário Regional, Nilton da Silva, que responde pela 6ª DPR, a ação teve como objetivo apreender materiais ilícitos dentro da prisão.

Por volta das 10h40min, deste dia 21, o trabalho foi concluído. Centenas de colchões, rádios, televisores e ventiladores foram retirados para o pátio. O processo de retorno desse material foi feito por agentes e quatro presos. Os colchões passam pelo detector de metais e são recolocados nas galerias.

Conforme a diretora administrativa, Lessandra Luz, foram encontrados 29 celulares, 19 baterias de telefone, carregadores de celular, três serras, 58 estoques, 70 pedras de crack e 127 buchas de maconha.

Durante a revista os agentes encontraram quatro pés de maconha, a erva estava sendo cultivada dentro da cadeia. Um processo interno administrativo vai apurar as responsabilidades, já que os materiais foram separados conforme as celas.

A promotora de Justiça, Laura Regina Sedrez Porto, esteve presente na revista e conversou com o Delegado penitenciário. Conforme a representante do MP, a superlotação continua sendo um dos agravantes. Ela destacou a maneira pacífica que ocorreu a revista geral. Sobre os materiais apreendidos, a promotora preferiu não se manifestar no momento.

Cerca de 18 integrantes do GAES, 20 da Susepe, com apoio da Brigada Militar, GOE, Bombeiros e Guarda Municipal participaram, desta que foi a segunda revista geral do Presídio Estadual de Alegrete, em 2018.

Na primeira, realizada no mês de março, a massa carcerária era de 226 presos e foram encontrados estoques, drogas, celulares, carregadores e como agravante revólveres.

 

 

Júlio Cesar Santos

Fotos: Júlio Cesar Santos e Susepe

 

 

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*