Polícia apura ameaça a jovem que denunciou competição de ‘pegação de mulheres’ em feira agropecuária


Caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher de Itapetininga. Polêmica surgiu após uma lista que mostra pontos para quem ficar com mais mulheres viralizar na web.

Polícia Civil investiga uma ameaça feita a uma jovem que alertou nas redes sociais sobre uma competição de “pegação de mulheres” que estaria sendo realizada por um grupo de rapazes em uma feira agropecuária de Itapetininga (SP).

De acordo com a delegada Leila Tardelli, a jovem alegou que foi ameaçada por um rapaz após ela publicar sobre a competição chamada “Expo Cup”, que serve para ver quem fica com mais mulheres durante o evento.

Ela afirmou à polícia que tinha recebido a imagem de uma lista que mostra os pontos que os competidores ganham dependendo das características físicas das mulheres e do nível de intimidade que conseguem durante o evento. Por isso, resolveu alertar as amigas.

“A jovem foi até a delegacia e contou que tinha sido ameaçada por alertar as mulheres sobre a competição. Mostrou a conversa que tem a ameaça feita por um rapaz para que ela não compartilhasse o alerta”, diz a delegada.

Grupo promove competição de 'pegação' em feira agropecuária e gera polêmica na web (Foto: Reprodução/TV TEM )

Grupo promove competição de ‘pegação’ em feira agropecuária e gera polêmica na web (Foto: Reprodução/TV TEM )

O jovem que fez a ameaça foi ouvido na delegacia nesta quarta-feira (11). Além dele, outras duas pessoas serão ouvidas nos próximos dias.

“Ouvimos o rapaz e ainda vamos ouvir outras duas pessoas para darmos prosseguimento nas investigações”, afirma.

Segundo a delegada, o caso da ameaça será encaminhado para o juizado especial.

“O promotor vai analisar o caso. Se ele falar que precisam ser feitas novas digilências, o caso volta para a delegacia. Caso contrário, é arquivado. Mas, além disso, a vítima tem até seis meses para apresentar uma representação na delegacia para que a investigação continue”, explica.

Competição

Sobre a possível competição de “pegação” de mulheres, a delegada explicou que inicialmente não há elementos que caracterizam apologia ao crime, já que a lista não foi divulgada em uma rede social aberta para todos.

Rapaz comenta sobre competição em feira agropecuária (Foto: Reprodução/Twitter)

Rapaz comenta sobre competição em feira agropecuária (Foto: Reprodução/Twitter)

“O que apuramos é que essa lista não foi publicada em uma rede social aberta e que foi colocada em um grupo fechado de conversas. É uma brincadeira de muito mau gosto, mas inicialmente não temos elementos que possam caracterizar apologia ao crime por não estar publicada em uma rede social por um dos envolvidos”, diz a delegada.

“Para se ter crime tem que ter dolo, que é a vontade de praticar. No caso, não tem elementos ainda, mas as investigações continuarão”, complementa.

Repercussão na web

Grupo promove competição de 'pegação' em feira agropecuária e gera polêmica na web (Foto: Reprodução/Facebook)

Grupo promove competição de ‘pegação’ em feira agropecuária e gera polêmica na web (Foto: Reprodução/Facebook)

Além da jovem que foi ameaçada, dezenas de mulheres se mobilizaram nas redes sociais para expor o perigo da brincadeira e orientar as jovens sobre a competição, além do perfil do Instituto Nacional de Transparência Municipal.

Ao G1, uma dessas mulheres afirmou que resolveu alertar as amigas sobre o caso quando recebeu imagens de rapazes que estavam compartilhando as intimidades que tiveram com as meninas.

“Até então as meninas não sabiam quem eram os caras. Depois que apareceu um print ficou claro que eles estavam compartilhando todas as intimidades que tiveram com as meninas. Achei um absurdo de verdade”, conta a mulher, que prefere não se identificar.

Outra jovem, que também preferiu não se identificar, explicou ao G1 que a repercussão na internet surgiu a partir do momento em que não se pode mais aceitar brincadeiras que subjugam as mulheres.

“Esse comportamento já foi normalizado por tanto tempo. É ridículo que as pessoas continuem pensando que isso é normal e aceitável”, diz.

“A gente sabe que eles não pensariam duas vezes antes de desrespeitar uma mulher numa situação dessas. Já que a gente não pode agir contra eles diretamente, temos que agir a favor delas”, explica uma das jovens.

As jovens ainda alertam sobre se colocar no lugar da pessoa envolvida antes de expor intimidades.

“Se fosse eu, não ia gostar de saber que fiquei com um cara que participou desse jogo. Eu me sentiria mal”, alerta uma das mulheres.

Jovens comentam nas redes sociais sobre competição de 'pegação' em Itapetininga (Foto: Reprodução/Twitter)

Jovens comentam nas redes sociais sobre competição de ‘pegação’ em Itapetininga (Foto: Reprodução/Twitter)

‘Respeita as minas. É simples’

Em 2018, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou o tema “Respeita as mina. É simples”, com o objetivo de ensinar para os homens a respeitar os limites na paquera e que a culpa do assédio é sempre de quem pratica, nunca da vítima.

“Eles estavam na brincadeira, mas não era uma brincadeira, pelo menos para nós”, finaliza uma das jovens.

Fonte: G1

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*