Polícia conclui inquérito de Tiago Martins e indicia o menor, a mulher e os irmãos

Polícia Civil concluiu o inquérito da morte do taxista Tiago Martins, de 33 anos. O trabalhador foi vítima de latrocínio há mais de um mês, dia 4 de novembro.

Os inquérito foi concluindo apontando que os quatro acusados que estavam presos de forma temporária, tiveram participação ativa e determinante na execução do crime. A mulher de 32 anos e os irmãos de 19 e 22 anos, a pedido da polícia que concluiu o inquérito e remeteu ao judiciário, afirma que houve a conversão da prisão de temporária em prisão preventiva. Esta nova medida vai assegurar a permanência dos acusados no Presídio Estadual de Alegrete. Já o menor que assumiu a autoria do disparo vai permanecer internado no CASE em Uruguaiana.

O trabalho foi realizado pelo Setor de Investigação da Polícia Civil de Alegrete, coordenado pelo Delegado Valeriano Neto.

Para a tia da vítima, Wania Castro, a notícia foi um alívio pelo o receio da impunidade. “Representa que a justiça está do lado das pessoas de bem. Além de destacar a força do povo e mostra que toda manifestação tem força”. comentou.

No último dia 30, amigos e familiares realizaram uma passeata pedindo justiça para que os acusados não fossem colocados em liberdade após o término do prazo da prisão temporária em que se encontravam.

Tiago deixou avó, avô, mãe, pai e quatro irmãos. Ele morava com os avós no bairro Vila Nova. A avó não sabe o que aconteceu, acredita que ele está viajando. Há mais de um ano estava trabalhando no ponto de táxi da Rodoviária.

O crime:

Inicialmente como tentativa de assalto.

A “passageira”,  chegou no ponto da rodoviária no dia 4 de novembro e solicitou uma corrida até o bairro Vila Nova. O endereço seria perto do IRMA. Pouco tempo depois, os colegas receberam a informação de que o taxista estava ferido na UPA, relatou uma das testemunhas.

Tudo indica que ao chegar no destino, ou antes, uma outra pessoa tenha entrado no veículo. A vítima foi alvejada com um tiro na boca. O taxista conseguiu dirigir até a frente da casa do irmão na rua Carlos Gomes e, ao chegar no endereço, começou a buzinar. A cunhada saiu na frente, percebeu que ele estava ferido e pediu para o vizinho o conduzi- lo até o hospital. O relato do amigo, que o levou à UPA, foi de que o taxista não conseguia falar e estava perdendo muito sangue.

Tiago ficou internado até dia 9 em estado grave na UTI da Santa Casa. Ele não resistiu às complicações do quadro.

Prisões:

Na segunda(5), a passageira de 32 anos se apresentou na Delegacia e durante à tarde foi decretada a prisão temporária pela Justiça de Alegrete. Ele foi presa pelos Policiais Civis. A suspeita em depoimento apontou os demais indivíduos que teriam participados do latrocínio.

Na terça(6), o menor que confessou ser o autor do disparo, foi apreendido e dois irmãos de 22 e 19 anos foram presos, preventivamente no bairro Vila Nova, pela Polícia Civil

Flaviane Favero

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*