Prefeito de Alegrete avalia prejuízo em mais de 10 milhões com as cheias

Na reunião de avaliação das enchentes em Alegrete, realizada na tarde de hoje(10) no salão vermelho do Palácio Ruy Ramos, coordenada pelo prefeito Márcio Amaral, foram divulgados os primeiros números dos prejuízos causados até aqui pelas enchentes.

O valor ultrapassa os R$ 10 milhões. Somente na área de saúde, conforme cálculos da Secretária de Saúde Bianca Casarotto, a conta chega a R$ 3 milhões. No setor de Infraestrutura, o secretário Jetter Danzer de Souza projeta prejuízos com as estradas, calçamento danificado e dois pontilhões avariados no interior do Município. Ele acredita que essa conta vai passar dos R$ 10 milhões.

A reunião contou com a presença do tenente coronel Max Geraldo Meinke, comandante do Corpo de Bombeiros na região, que elogiou o plano de contingência de Alegrete o que facilita muito o trabalho, disse. O comandante anunciou que três equipes de guarda vidas foram colocadas à disposição, sendo elas de Candiota, Rosário do Sul e Manoel Viana, homens treinados e preparados para alguma emergências, principalmente à noite.

Foto: Marco Antônio

Foi informado pelo prefeito Márcio Amaral que a Defesa Civil estava enviando 25 barracas para os desabrigados e que solicitaria o apoio do Exército para a montagem desses abrigos.

O major Rinaldo Castro, coordenador regional da Defesa Civil, relatou da missão recebida do Estado de dar atenção especial para Alegrete. E que tão logo ocorra o reconhecimento ou homologação da situação de emergência, o município deverá ser socorrido com o que mais a comunidade precisa como colchões, agasalhos , roupas de cama.

A Corsan relatou sobre um problema operacional ocorrido na manhã desta quinta-feira que atingiu o abastecimento de água na zona alta da cidade, mas que nesta sexta-feira a situação deverá ser normalizada.

Comunidade responde aos Apelos no auxílio aos Desabrigados

Não há queixas da generosidade dos alegretenses. Eles estão sendo solidários e respondem com doações que chegam de todas as partes. Os grupos de ajuda trabalharam intensamente no dia de hoje, recolhendo donativos e entregando nos locais de recebimento.

A secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social, Iara Caferatti, vai decidir sobre a concentração das doações. Foi sugerido que poderia ser na Loja Maçônica onde o grupo de jovens do Capítulo De Moley 384 está realizando uma campanha muito forte de recolhimento de gêneros alimentícios, material de limpeza, água em garrafas e roupas. Não há ainda um levantamento do que foi arrecadado, mas somente em caixas de leite pasteurizado foram mais de 900.

O grupo trabalha em rodízio de 15 a 20 pessoas, congregando a Loja Maçônica Luz e Verdade, Loja Ibirapuitã 79, Capítulo DeMoley e loja Triângulo Acácia de Manoel Viana. O tenente coronel Max visitou o centro de recepção de doações na rua Demétrio Ribeiro e elogiou o trabalho do grupo: “o pouquinho de cada um faz o muito de quem precisa”, exemplificou.

Grupos voluntários estão preparando a alimentação e o lanche que são servidos nos abrigos espalhados na cidade. A campanha agora é por água potável, mas ficou acertado que um caminhão pipa vai abastecer cisternas a serem colocadas nos abrigos com água para o consumo doméstico da população desabrigada.

Ao final, o prefeito Márcio relatou sobre a reunião que manteve com as empresas do transporte coletivo da cidade, em função da interdição da ponte Borges de Medeiros. Disse que ponderou às empresas sobre a questão da segurança dos usuários e dos próprios ônibus, mas que é uma situação emergencial, por poucos dias.

Nesta sexta-feira, nova reunião de avaliação das equipes de trabalho será realizada, no mesmo horário e local.

Rio Ibirapuitã estava 12m55cm acima de seu nível normal conforme aferição feita às 22h50min.

Fonte: DepCom – PMA Fotos: Júlio Cesar Santos

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*