Prendas do Oswaldo Aranha cavalgaram mais de 80 km com a chama crioula.

O CTG Oswaldo Aranha, no Distrito de Duranal, é um dos mais tradicionais de Alegrete, onde famílias daquela comunidade honram com a alma as tradições gaúchas.

E lá, as mulheres, assim como os homens pegam, lado a lado, nas lidas campeiras.

E para buscar a chama no Marco das Três Divisas, não foi diferente.

Três prendas do Oswaldo Aranha com a graça e feminilidade da mulher gaúcha vieram junto com os peões conduzindo a centelha da chama, desde as Três Divisas até Alegrete e, daqui, até a sede do CTG a 40 km da cidade.

No total, Carla Marzullo da Silveira, Lavínia Silveira e Luisa Jaques cavalgaram mais de 80km. Ao lado das prendas, durante toda cavalgada, Juvenal Pereira, de 80 anos, também do Durasnal.

E como umas verdadeiras “Anitas” não se intimidaram com a chuva, do último dia 11, e ostentaram com orgulho seu ponches e as bandeiras.

As três mulheres, ressaltam que o amor à Pátria gaúcha e as nossas tradições valem todo o seu esforço e cavalgar faz parte das suas rotinas.

-Nenhum cansaço nos intimidou a honrar o que acreditamos como valores e costumes do nosso Estado, destacam. A cavalgada da chama só chegou ao CTG Oswaldo Aranha na tarde deste sábado, dia 14.

Uma prenda do Piquete Dona Luiza e outra do CTG Quero Quero fizeram parte desta cavalgada da chama num contingente, ainda,dominado por homens.

Vera Soares Pedroso

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *