Professor Biju: uma vida dedicada ao desporto e cultura de Alegrete

Depois que deixou a vida profissional, Sérgio Augusto Cardoso Pinto resolveu curtir sua aposentadoria na cidade de Guaíba. Biju como foi carinhosamente apelidado, ensinou uma juventude doando suor e sua magia para contemplar os alunos mais exigentes.

Educador físico em escolas particulares e estaduais, o alegretense hoje aos 72 anos relembra de momentos ímpares na trajetória escolar. São muitas histórias, lições de vida como prefere definir seu tempo de professor em escola pública. Durante 24 anos de magistério comungou com vários tipos de pessoas, e no meio esportivo conseguiu fazer o que mais gosta. Era na formação de cidadãos, independente da vitória ou derrota, que o trabalho era recompensado. O importante era competir com garra e alegria destaca o professor.

“E pensar que a vida é apenas um substrato de algo que a gente não consegue explicar. Mas a vida, vale a pena ser vivida” comenta Biju. Com atuação destacada em unidade militares, onde coordenou modalidades esportivas, inclusive com participações históricas em olimpíadas militares, Biju é presença marcante por onde passa.

O alegretense lecionou na antiga escola Patriarca, no Demétrio Ribeiro, IEEOA, Emílio Zuneda e no Polivalente. Nestes educandários difundiu atividades culturais musicais. Um dos percursores dos blocos carnavalescos de Alegrete, teve destaque em vários deles, mas foi no Bloco do Funil que ganhou notoriedade com seu trompete prateado.

Biju foi proprietário da academia Boa Forma. Ali criou equipes de rústica, e tinha uma clientela fiel ao seus ensinamentos. Responsável técnico pelas iniciação ao basquetebol no Real nos anos 83, 84 e 85, possui cursos de arbitragens em futsal, basquete e atletismo.

Como desportista admite que fez muito pouco de inserção futebolística, mas no atletismo trouxe inúmeras medalhas para Alegrete. A atuação em várias escolas, quartéis e associações, clubes e escolinhas comprovam sua bela trajetória. Se considera uma pessoa híbrida, com muitas especialidades que qualquer ser humano pode ter.

“A gente não nasce só para o mundo. Apresenta-se com várias e muitas opções para jogar o que se apresenta num primeiro momento”, destaca.

Recentemente o Campeonato Citadino de Basketball, fez uma justa homenagem ao desportista Sérgio Augusto Pinto. A Copa Professor Biju, reverenciou o mestre que não se cansa de ensinar. Biju esteve na cidade e compartilhou momentos com ex-alunos e colegas. Na final emocionado, ficou rodeados por atletas assim como sempre esteve ao longo da sua trajetória no esporte.

Biju é sinônimo de espírito esportivo, melodia de uma marchinha de carnaval em pleno salão do Caixeiral, alegria contagiante de um alegretense de bem com a vida.

Júlio Cesar Santos

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*