Projeto leva leitura aos usuários e pacientes da Santa Casa de Alegrete

A manhã desta quarta-feira (12), alterou a rotina daqueles que foram até o Centro de Imagens Raul Englert na Santa Casa de Caridade de Alegrete.
O lançamento do Projeto “Leitura mg: Ler é o melhor remédio”, foi realizado na sala de espera, em meio a pacientes e usuários do serviço de diagnósticos.
O setor de imaginologia do hospital foi o contemplado pelo projeto de incentivo à leitura numa parceria entre a Biblioteca pública Mário Quintana e Hospital.
A comunidade de Alegrete e região, que utiliza os serviços do Hospital tem de agora em diante 4 bibliotecas livres dentro do ambiente da Santa Casa (salas de espera para exames e setor interno).
Roda de contos, mediação da leitura com pacientes internados na ala de Convivência (Psicologia), e muitos livros para aqueles que esperam um exame e acompanhantes.
A bibliotecária Aliriane Almeida diretora da biblioteca do Centro Cultural enfatizou a importância das bibliotecas livres.
“Trazer para outros locais a leitura, possibilitar a circulação das obras, ter um local de referência, incentivar a leitura é o nosso propósito”, comentou a bibliotecária.
Para o diretor administrativo da Santa Casa, doutor João Alberto Pereira o projeto vai incentivar pacientes e acompanhantes, num local onde a leitura não chegava explicou o profissional. “Nós devemos ter um hábito mais de leitura, de suma importância o projeto neste ambiente”, comentou o doutor.
Para Ana Kátia França diretora de marketing da Santa Casa, o projeto é um diferencial que a instituição sempre primou. “Era um desafio o Leituramg, hoje é realidade, a leitura transforma, vai ajudar as pessoas que aqui aguardando exames revelam uma certa ansiedade”, frisou.
A secretária de educação Márcia Dorneles representando a prefeita Cleni Paz comentou que o projeto é de toda comunidade. “Alegrete é uma cidade leitora, nós acreditamos no projeto que vai beneficiar muitas pessoas daqui e da região”, avaliou a secretária.
Estiveram presentes o vereador Paulo Bérquo, que aproveitou para fazer a primeira doação de livros ao projeto. Paulo Amaral do Coletivo Multicultural, Marcos Santierri diretor do museu Oswaldo Aranha, além da comunidade, colaboradores do hospital prestigiaram o lançamento.
A comunidade poderá realizar doações de livros para os módulos de leitura do projeto, preferencialmente: Crônicas, Contos, Autoajuda, Poesias, Literatura Infanto-Juvenil, Romances e outros materiais informativos e de lazer, com histórias curtas que possam ser lidas durante o tempo do espera dos exames.
Não precisa realizar cadastro para a leitura, uma vez que os livros poderão ser lidos no local ou poderão ser levados, sob indicação de que se mantenham em circulação para leitura.
Ao final da solenidade uma surpresa foi entregue aos participantes uma caixa do “remédio leitura mg”, composto de miligramas de amor, carinho, sabedoria, saúde e boas energias.
O mimo foi idealizado pela equipe da biblioteca Mário Quintana e o setor de marketing da Santa Casa.

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*