Rio baixando e cenário de destruição começa aparecer em Alegrete

Uma enchente avassaladora castigou a população de Alegrete. Diferente daquela que frustrou o natal de 2015, essa de janeiro aniquilou sonhos e castigou milhares de pessoas logo no início de 2019.

Nesta quarta-feira (16), a primeira medição feita pela Defesa Civil acusou o Ibirapuitã em 11 metros e 90 centímetros acima do seu leito normal.

A impressão próximas às zonas alagadas é de que ainda resta muita água para descer. A correnteza no leito do rio impressiona até aqueles acostumados às cheias do Ibirapuitã.

O principal ponto de ligação da Zona Leste ao centro da cidade ainda está interrompido. As avenidas próximas ainda acumulam água. Ali o meio de transporte é a velha e boa bicicleta. Dezenas de pessoas aproveitam para fazer a passagem usando a bike. Alguns a pé enfrenta a travessia ao outro lado do município.

Numa rápida incursão as proximidades do Estádio Farroupilha o cenário é desolador. Um muro foi ao chão e o restante está comprometido. O Clube Sete de Setembro terá sérios problemas para voltar ao normal.

O CTG Farroupilha respira mais aliviado, embora ilhado ainda nem tenha calculado o montante de prejuízos. Ali, um park de diversão teve de deixar partes de brinquedos que estavam sendo montados na semana que o rio começou a subir.

Um posto de combustível está rodeado de água, ainda sem saber quando retorna ao funcionamento, o estabelecimento está fechado a uma semana.

O estádio municipal padece, o aguaceiro que transformou o local num piscinão já está com menos água e os portões foram danificados, a grama enlamaçada começa a aparecer, sem contar os demais locais danificados.

A Praça dos Patinhos foi castigada mais uma vez. A calçada em alguns pontos foi devastada pela da correnteza. Bancos, tablados acabaram danificado com a ação da água. A APAE completamente encharcada vai necessitar mais uma vez da ajuda da comunidade.

No local somente o trânsito de pedestre e ciclistas. Em meio ao cenário de uma das maiores enchentes do município, a população dá sinal de superação.

Uma corrente de solidariedade e dezenas de voluntários estão minimizando os efeitos da enchente, embora os prejuízos ainda não estejam calculados pelos milhares de desabrigados das cheias do Rio Ibirapuitã.

Júlio Cesar Santos

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*