Santa Casa de Alegrete anuncia suspensão de serviços eletivos por falta de repasses

Na manhã desta sexta-feira (15), a direção da Santa Casa de Caridade de Alegrete anunciou a suspensão dos serviços eletivos.

Uma reunião com líderes municipais ligados à saúde e imprensa foi realizada na instituição. O diretor médico João Alberto Pereira, comunicou que infelizmente a medida se faz necessária, uma vez que o repasse por parte do Estado gira em torno de R$ 3.935,374,28. A dificuldade de manter e cumprir serviços pela falta de repasses levou à direção do hospital a tomar mais uma vez a medida de suspensão de vários serviços médicos.

Dessa forma, estão suspensas todas as cirurgias e projetos que a instituição presta a âmbito regional. O encontro contou com a presença do Presidente do Conselho Municipal de Saúde Sérgio Soares, do diretor sindical e membro do conselho Nilo Romeiro, Delegado Regional de Saúde da 10ª CRS Renato Costa, Caroline Cargaro da Secretaria Municipal da Saúde e imprensa local.

Conforme anunciado, os valores à receber atualizados no último dia 14, revelam a falta de repasses de diárias de UTI Neonatal, incentivos estaduais e federais. Já os repasses referente a UPA, não são pagos desde de setembro de 2018, na ordem de 135 mil. Até o mês de fevereiro deste ano o montante é de 810 mil.

Em relação ao Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul, até o momento a Santa Casa aguarda o pagamento de aproximadamente 1 milhão.

O Presidente do Conselho Municipal Sérgio Soares se mostrou preocupado com a situação, que não difere de outros hospitais da região. Se comprometeu a mobilizar demais órgãos afim de atender a demanda da Santa Casa.

Já Caroline Cargaro da SMS, recebeu com tristeza a notícia e disse que o município vai buscar soluções junto a Santa Casa. O Delegado Regional Renato Costa, vai unir esforços e acionar lideranças para atender os anseios da saúde em Alegrete.

“Infelizmente chegamos nessa situação. Saúde é um dever do Estado e direito do cidadão. As cirurgias estão todas suspensas. Precisamos cuidar daqueles pacientes que já estão aqui”, comentou o médico João Alberto Pereira, ao final da reunião.

Em maio de 2016, a Santa Casa havia fechado a UTI Neo e suspenso diversos serviços. Na época, o valor declarado de repasses era de
2.43 milhões, referentes a janeiro à abril daquele ano.

A notícia ainda não tinha sido comunicada oficialmente ao corpo clínico do hospital. Mas segundo o diretor médico, os serviços como:
cirurgia geral e serviços de proctologia, endocrinologia, bucomaxilofacial e traumatologia foram suspensos já nesta manhã.

Júlio Cesar Santos

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*