Semana arrozeira vai debater os problemas da orizicultura


A presidente da Associação dos Arrozeiros, Fátima Marchezan, falou à imprensa sobre a programação da 11ª Semana Arrozeira de 2018.

O maior evento da classe será realizado de 24 de maio a 2 de junho no CTG Aconchego dos Caranchos e traz para o debate questões da produção, comercialização e a relação com a economia de Alegrete e do Estado.

Este ano a Presidente antecipa que para os participantes melhor aproveitarem as palestras e debates, da noite, haverá apenas a participação de um palestrante.

Fátima Marchezan confirma que o custo de produção ainda é o maior problema da classe. Não adianta subir o valor da saca se o custo sempre está elevado Exemplificou dizendo que hoje o custo de produção é de 40 reais por saca para venda a custo oficial a 36 reais.

A expectativa é de superar as 3.500 pessoas que participaram da Semana Arrozeira de 2017.

Um aspecto que será abordado é quanto às exportações, para que mais produtores se apropriem deste mecanismo de comercialização.

Outra questão importante, destacou Fátima, é que Alegrete tem a menor inadimplência de produtores do RS e, devido a isso aumentou em 10% a oferta de crédito.

Ela alertou que existe a possibilidade, devido as dificuldades, de diminuir em 20% a área plantada no Município, e isso afetaria diretamente a economia. Seria algo como um frigorífico e meio de desempregados, da porteira para dentro, salienta.

Alegrete, informou a presidente da AAA, tem registrado no IRGA 400 produtores de arroz.

Vera Soares Pedroso

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*