Sicredi é o agente financeiro que mais liberou recursos pelo Pronaf em 2018

No ranking do BNDES, instituição financeira cooperativa também

 ocupa o 1º lugar em operações indiretas nas linhas Pronamp, Inovagro e Moderagro

Mais uma vez, o Sicredi é destaque no ranking de desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Entre janeiro e dezembro de 2018, o Sicredi realizou aproximadamente 20 mil operações, totalizando mais de R$ 1,2 bilhão liberados por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que presta atendimento diferenciado aos pequenos agricultores, sendo o agente financeiro com o maior volume de operações nesta categoria.

O ranking anual do BNDES identifica o desempenho das instituições financeiras nas operações indiretas, aquelas em que o banco de desenvolvimento participa indiretamente no repasse de recursos por meio de um agente financeiro a ele credenciado, como no caso do Sicredi.

Na lista do BNDES, o Sicredi também foi classificado na primeira posição nos financiamentos do Inovagro, financiamento para incorporação de inovações tecnológicas nas propriedades rurais; nos financiamentos do Pronamp, para investimentos dos médios produtores rurais; e, também, liderou nos repasses da Moderagro, para projetos de modernização e expansão da produtividade nos setores agropecuários.

No total, o Sicredi liberou, em 2018, aproximadamente R$ 4,1 bilhões por meio do Pronaf, em mais de 120 mil operações. Este montante corresponde às operações realizadas com recursos do BNDES e de outras fontes de recursos, como a captação de poupança juntos aos associados da instituição financeira cooperativa.

BNDES DÁ UM UP NOS EMPREENDIMENTOS DA REGIÃO

Ano após ano, o Sicredi vem sendo reconhecido como o agente financeiro com maior volume de operações de investimento via BNDES. Somente em 2018, foram mais de R$ 20 milhões liberados na região do Pampa Gaúcho.

Em Manoel Viana, por exemplo, a associada Dircelia Leandra Antunes deu um up no seu empreendimento com o investimento em um poço artesiano, tronco, banheiro de aspersão, balança e mangueira. Ela e o marido trabalham com pecuária há muitos anos e este investimento é também um incentivo ao futuro de seu filho, estudante de medicina veterinária. O desenvolvimento do seu negócio vai contribuir com a sucessão familiar, possível a partir do trabalho junto com seu marido, onde as experiências, responsabilidades e sonhos, são divididos com o filho.

Já em Cacequi, Daltro Brauner investiu em uma estufa galvanizada para a produção de tomates. Produtor rural há mais de 10 anos, ele ampliou a sua produção e a tornou mais eficiente, a partir de liberação de crédito via BNDES.

Em Santa Margarida do Sul, Vanderlei da Silva, viu nas suas parreiras a possibilidade de realizar vários sonhos, a partir do seu trabalho na terra. Aproveitou uma linha de crédito de investimento e renovou suas estruturas, melhorando o replante e, consequentemente, a produtividade. A ideia é aumentar a produção, com o investimento feito que possibilitou ampliar para 3 mil palanques a sua estrutura de replante.

Os recursos provenientes da liberação de crédito através do BNDES também fazem história em Alegrete, onde as produtoras rurais Viviane e Luciana Macedo, associadas de Quaraí, investiram em silos e não deu outra: sonho realizado, empreendimento de vento em popa e desenvolvimento para a região, além de proporcionar mais emprego e mais renda.

Compartilhe
  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  
    11
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*