Substituir areia por vidro moído em concreto pode resolver um problema ambiental


A Secretaria de Meio Ambiente, que já tem pontos permanentes de coleta de eletrônicos, tampinhas e lacres, agora passa a receber também garrafas long neck e material não retornável de vidro.

A iniciativa é uma parceria com a UNIPAMPA, através do projeto desenvolvido pelo acadêmico de engenharia civil Charles Severo Cenci, com orientação dos professores Aldo Leonel Temp e Simone Venquiaruto. O projeto consiste em diversas misturas de concreto com a substituição de diferentes porcentagens de areia por vidro moído para determinar que percentual pode ser utilizado em cada tipo de material. O emprego da composição pode ser na fabricação de pavimentos intertravados de concreto, os pavers.

Para o acadêmico Charles, futuramente o poder público poderá apoiar o projeto em forma de descontos no IPTU (já existe o IPTU Ecológico) para quem fizer uma calçada utilizando esse material ou mesmo exigindo, nos editais, o uso desse pavimento.

 

A secretária do meio Ambiente, Gabriella Segabinazi, destaca como de extrema importância o projeto. Conforme esclareceu, o vidro é muitas vezes um problema e os catadores e recicladores não querem receber pelo baixo custo na venda para reciclagem e essa seria uma alternativa de valorização e uso sustentável para esse tipo de resíduo.”

 

A Lei Municipal de N° 5.366 de 17 de julho de 2014, torna obrigatória a coleta e destinação final das embalagens de vidro do tipo long neck pelos revendedores de bebidas. Uma alteração na lei foi proposta e está tramitando, no sentido de que outros tipos de garrafas além da ong neck também sejam incluídos.

 

 

Departamento de Comunicação – PMA

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*