Suspeito de matar cabeleireiro em Gravataí é preso, e alega ter agido para defender companheiro

Dionatan Francisco de Souza, de 28 anos, foi encontrado morto no apartamento onde morava na madrugada de sábado (4). Antes da prisão, jovem disse à polícia que desferiu facadas porque a vítima estava agredindo o companheiro dele.

A Polícia Civil prendeu na tarde desta terça-feira (14) o suspeito de matar o cabeleireiro Dionatan Francisco de Souza, de 28 anos, na madrugada do último dia 4 em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O jovem, de 18 anos, teve mandado de prisão preventiva cumprido após prestar depoimento, no qual confessou ter esfaqueado a vítima, alegando que agiu em defesa do companheiro dele.

Dionatan foi encontrado morto no apartamento onde morava, no Centro da cidade. Ele não tinha antecedentes criminais. Vizinhos relataram que na noite anterior ao crime, ele entrou no prédio acompanhado de outros homens.

A cena foi confirmada por imagens de câmeras de segurança, que mostraram Dionatan e outras duas pessoas entrando no edifício durante a madrugada, e as mesmas duas pessoas saindo após aproximadamente 40 minutos. No imóvel, foi encontrado um prato com resquícios de cocaína e cervejas consumidas.

O suspeito, de 18 anos, afirmou que ele e o companheiro, de 17 anos, entraram no prédio junto com Dionatan. Eles haviam se conhecido por meio de um aplicativo, e marcado um encontro a três. Dentro do apartamento, ainda segundo o relato, houve um desentendimento entre o cabeleireiro e o menor, e o suspeito teria agido em defesa do adolescente.

“O suspeito informou que a vítima havia consumido cocaína, e os dois não, e que quando ele foi ao banheiro tomar um banho, quando retornou, viu a vítima agredindo o companheiro dele, e por isso acabou entrando em luta corporal com a vítima. Encontrou uma faca no quarto da vítima e investiu contra Dionatan”, disse o delegado Eduardo Amaral, responsável pelo caso.

A polícia tenta localizar o menor, para tomar depoimento e verificar se há marcas das agressões que teriam sido cometidas por Dionatan, segundo o suspeito do crime. O delegado afirma que há pontos do relato a serem esclarecidos, como a razão das supostas agressões da vítima contra o menor, o motivo pelo qual havia uma faca de cozinha no quarto da vítima, e se as facadas foram desferidas durante luta corporal.

“A dinâmica lá dentro do apartamento não está bem clara, a sequência de golpes que atingiu a vítima foi concentrada na região do peito próxima ao coração, e ele tentou relatar que não teria desferido golpes na região, como se quisesse apenas afastar o perigo”, disse Amaral.

Segundo o delegado, depoimento reforçou a hipótese de homicídio doloso, e abriu a possibilidade de legítima defesa de terceiros. A suspeita de latrocínio – roubo seguido de morte – perdeu força.

‘Preciso de justiça’, diz mãe

Mãe de Dionatan soube da morte do filho por uma colega de trabalho dele — Foto: Reprodução/RBS TV

Mãe de Dionatan soube da morte do filho por uma colega de trabalho dele — Foto: Reprodução/RBS TV

O corpo de Dionatan foi velado em Cachoeirinha, e o sepultamento foi realizado no domingo (5), em Gravataí. A mãe do cabeleireiro, a vigilante Fabiana Francisco, pedia justiça durante a solenidade.

“Eles mataram meu filho. Pelo amor de Deus, eu preciso de justiça. Eles têm o vídeo, eu só quero esses dois atrás das grades”, disse.

“Eles tiraram a vida do meu filho, isso não é justo. Eles tiraram a vida do meu filho da pior maneira possível.”

Fabiana soube da morte do filho a partir de uma colega de trabalho dele, que encontrou o corpo. A maquiadora Ana Pacheco ficou preocupada porque ele não apareceu no salão de beleza onde eles trabalhavam. Segundo ela, o cabeleireiro nunca faltava e sempre foi pontual.

“Toda a equipe tentando mandar mensagens, falar, só que as mensagens só iam e não eram lidas. E aí foi quando a gente resolveu ir no sábado lá no apartamento dele. E, infelizmente, o pior aconteceu”, lamentou.

Fonte: G1

Compartilhe
  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  
    21
    Shares
Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*