Uma reflexão sobre o universo indígena é atração do SESC na véspera do feriado

Em circulação no país pelo Circuito Nacional Palco Giratório Sesc 2019, o espetáculo “Se eu fosse Iracema”, visita Alegrete nesta véspera do feriado do Dia do Trabalhador.

A atração acontece no Salão de Atos Maria Amorin (IEEOA), às 20h, com classificação etária de 14 anos.

O espetáculo propõe um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação atual, usando referências que vão de mitos e rituais de várias etnias originárias do país a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, muitas vezes negligenciados. O monólogo, primeira pesquisa de linguagem do 1COMUM Coletivo, tem atuação de Adassa Martins, dramaturgia de Fernando Marques e direção de Fernando Nicolau. A classificação etária é de 14 anos.

Criado pelo Sistema Fecomércio-RS em 2007, o programa reúne todas as atividades culturais desenvolvidas pelo Sesc no Rio Grande do Sul, entre teatro, música, artes plásticas, literatura e cinema. Além de promover uma intensa troca de experiências e ampliar o acesso à produção artística, o Arte Sesc busca ser reconhecido como promotor de ações culturais no Estado, sendo elas não só apresentações artísticas, mas também de caráter formativo e educacional, orientadas por três eixos: transversalidade, diversidade e acessibilidade.

O quê: Espetáculo “Se Eu Fosse Iracema” em Pelotas

Quando: 30 de abril (Terça – feira), 20h

Aonde: Salão de Atos Maria Amorin

Classificação etária: 14 anos

Quanto: R$ 7 categoria Comércio e Serviços e Empresários com Cartão Sesc/Senac; R$ 7 estudantes, idosos e sócios do Cepers, R$ 10 empresários e R$ 14,00 público em geral.

Júlio Cesar Santos Fotos: Reprodução

Compartilhe
  • 24
  •  
  •  
  •  
  •  
    24
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*