Vigilante tem suposto artefato explosivo preso ao corpo após assalto a carro-forte em Porto Alegre

De acordo com a Brigada Militar, grupo fortemente armado bloqueou o blindado e sequestrou funcionários da empresa de transporte de valores. Todos foram liberados e um deles teve um objeto preso ao corpo. Gate trabalha para identificar e retirar suposto explosivo.

Criminosos assaltaram um carro-forte no início da tarde desta quinta-feira (11) no bairro Anchieta, em Porto Alegre. De acordo com a Brigada Militar, os suspeitos usaram um caminhão e uma caminhonete para bloquear o blindado e render os vigilantes, que foram sequestrados pelo grupo, que também levou malotes de dinheiro que estavam no veículo que transportava valores para caixas-eletrônicos.

Os funcionários da empresa de segurança foram levados da Travessa Arnô Filip até dois pontos distintos: dois deles foram liberados próximo ao Aeroporto Salgado Filho e outros dois seguiram até Canoas, município vizinho à capital gaúcha, onde também foram soltos. Os vigilantes retornaram ao local onde aconteceu o crime e um deles teve um suposto artefato explosivo preso ao corpo.

O homem foi isolado devido ao risco de explosão e sequer foi ouvido pelas autoridades, que acionaram o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Brigada Militar, responsável por identificar e retirar o objeto colado no abdômen do vigilante.

Os assaltantes fugiram com o dinheiro e ainda não foram localizados. A polícia faz buscas aos criminosos.

O local do crime foi isolado para trabalho da perícia. Também estão por lá Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Polícia Civil.

Local onde aconteceu o crime foi isolado para retirada do objeto colado ao corpo do vigilante (Foto: Eliezer Falcão/RBS TV)

Local onde aconteceu o crime foi isolado para retirada do objeto colado ao corpo do vigilante (Foto: Eliezer Falcão/RBS TV)

Fonte: G1

Compartilhar

Curta nossa Fan Page

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.